Blue Flower

Várias foram as vezes, em diversas situações, que defendemos a nossa independência. Sempre nos pautamos por essa independência, por nos parecer ser uma característica fundamental neste projeto, por dar a conhecer tudo o que tinhamos em nossa posse, com o intuito de divulgar o Judo, as suas gentes, as suas provas, os seus eventos.

Fomos nós a organizar, nas últimas eleições, o debate entre todos os candidatos a presidente. Foi o único debate a três que existiu, acessível a todos os interessados, e no qual foram colocadas as principais questões que se exigiam na altura. Temos em nós a sensação que foi uma boa iniciativa, que contribuiu para o esclarecimento de todos os intervenientes do Judo, contribuindo, assim, para a criação de opinião entre todos os que foram exercer o direito de voto.

Nos últimos tempos temos procurado manter a mesma linha, a mesma imparcialidade, o mesmo propósito. Mas, como qualquer humano, nem sempre nos é possivel garantir essa independencia. E nós, que integramos este projeto, não passamos de seres humanos que enveredámos pelo caminho deste projeto, desta “loucura”.

Na passada semana, também fruto do que se tem passado no projeto JudoTuga, fui, eu, António Costa, convidado a integrar uma lista candidata às próximas eleições da FPJ – Federação Portuguesa de Judo. De consciência tranquila, pois sempre fui imparcial, aceitei esse convite na passada quinta-feira, e desde então deixei, a nível pessoal e ao nível do meu envolvimento no projeto JudoTuga, de ser imparcial no que toca às eleições da FPJ. Não por me julgar incapaz de manter a independência que acho que devo ter, mas por achar que não me “tenho que meter a jeito” para ser acusado de parcial, de favorecer A ou B, de dizer algo que não devia.

E principalmente para não dar aso para que me acusarem de prestar um mau serviço ao Judo, que é este o grande propósito deste projeto.

O JudoTuga só deseja que todo o processo eleitoral se realize com a maior elevação possivel, que regra geral tem pautado os atos eleitorais anteriores, e que todos os delegados eleitos, com possibilidade de voto, exerçam esse direito no próximo ato eleitoral, a bem do Judo, a bem da modalidade que todos gostamos.

Continuaremos, assim, a dar noticias de Judo mas que não estejam relacionadas com este ato eleitoral, sempre em prol do nosso Desporto.

Desejos de umas Santas Festas

Bem-Haja

António Costa